sábado, 21 de dezembro de 2013

Férias






Ola, sei que voces devem ter percebido que não fiz postagem na segunda, agora vou dizer o porque, estava eu cheia de esperança pra ter novidades para nós e para dar a voces, antes do fórum etrar em recesso. Isso aconteceu no dia 20 e eles irão voltar dia 6 de janeiro,   mas infelizmente a noticia não chegou, para nós foi frustante, desde o começo sabíamos que nosso filho não vira este ano, quando entramos com o processo imaginamos que o nosso filho só viria em 2014, e neste momento já não acreditamos mais nisso, pois tinhamos certeza que em 2013 iriamos entrar na fila, esta é minha ultima postagem de 2013, o fórum entrou em recesso, e eu vou entrar junto kkkkk,agradeço a todos por ter estado comigo atravez do blog em 2013, sei que todos leram, torceram, vibraram, lamentaram as minhas postagens, obrigada de coração, vou terminar o ano com mais de 5 mil visualizações, isso porque voces fazem parte do meu blog, e muitos mesmo distante, torcem por nós, sei que tem muitos que nem nos conheçem, mas estamos ligado pela torcida,  desejo a todos que acompanham o blog um feliz natal, que a estrela de Jesus brilhe nas familias, um 2014 de realizações, amor, saude e paz,  em 2014 voltarei a postar."férias kkkk"

segunda-feira, 9 de dezembro de 2013

Dezembro


Ola, chegou dezembro e com isso ferias, daqui alguns dia tudo para, quando falo tudo, falo em forúm, falo em vara do trabalho, falo em vara da infançia, juizes, promotores e etc..., isso quer dizer que, nosso filho vai passar o natal no orfanato, isso porque a justiça não consegui da prioridade a minha adoção, fiquei sabendo que a juiza de Itu, é juiza da vara da infançia, e da vara criminal, ai eu consigo entender, o porque nosso processo ira  fazer 4 meses, e não tivemos resposta, vamos pensar, uma juiza que cuida da vara crimanal, terá tempo de ver outra coisa??? sei que cada pessoa que esta lendo agora pensou "não", claro que não, o crime é algo que esta acontecendo a todo momento, cedo, tarde e noite, pior é pensar que o orfanato  também é uma vara delicada, não tem hora para ter uma denuncia, nem tem hora para uma criança ser abandonada, não tem hora para uma criança ser levada ao abrigo.
Então fica assim, esperar a juiza ter um tempo para parar e olhar no nosso processo,  pois só ela pode nós tornar apto a adoção, ficamos chateado, pois este é o segundo natal que esperamos.

sábado, 30 de novembro de 2013

Jonal Hoje



Ola, ontem uma notícia me fez antecipar esta postagem, estava eu assistindo o jornal hoje e a matéria falou do premio Innovare, o  objetivo do Prêmio Innovare é identificar, premiar e disseminar práticas inovadoras realizadas por magistrados, membros do Ministério Público estadual e federal, defensores públicos e advogados públicos e privados de todo Brasil, que estejam aumentando a qualidade da prestação jurisdicional e contribuindo com a modernização da Justiça Brasileira. As práticas identificadas demonstram o rico e diversificado trabalho que vem sendo realizado.
O que mais me chamou a atenção foi o projeto de 2 jovens magistrados, fico feliz em saber que no senado tem um trabalho lindo, tem pessoas que estão se preocupando com nossas crianças, aquelas que se encontram nos abrigos, graças a Deus tem gente tentando melhorar a situação das crianças, é uma pena que a mídia da tão pouco destaque a este tipo de matéria, devia falar mais e mais, quem não teve a oportunidade de assistir, assista, o link esta embaixo, ah no jornal nacional falou sobre o premio Innovare, mas não falou sobre este projeto.
Observação, sobre o caso "Duda" sem novidades.

http://g1.globo.com/bom-dia-brasil/videos/t/edicoes/v/vencedores-do-premio-innovare-sao-

  anunciados/2986223/


domingo, 24 de novembro de 2013

Fica Duda


Ola, no dia 10 de novembro fiz uma postagem da historia da Duda,há até uma companha nas redes
sociais, "Fica Duda", e como um assunto deste não pode ser esquecido, ficamos no aguardo da decisão da justiça, vim dar noticias para vocês, e falar mais um pouco deste assunto que nos deixa aflitos, eu estava aqui  me perguntando em que pé esta o caso Duda, fui na página que foi aberta no face com o apelo "Fica Duda", e descobri que a justica é lenta, sempre lenta, não foi decido ainda, terá outra audiência pública dia 27 de novembro, será em Brasilia, fico imaginando o coração destes pais, imagina esta criança, ela não conhece outros pais, ela não conhece outra familia, outro amor, outro carinho, outra educação, a base dela são os pais adotivo, não dá para entender a justiça, eles sempre fazem questão de dizer que a justiça pensa no bem estar da criança, o importante é a criança, e neste caso?, eles estão pensando em quem???a Duda foi entregue ao abrigo com 2 meses, foi para familia adotiva com 1 ano e 8 meses, e agora com quase 4 anos a justiça vem falar de familia biologica, acredito que pensando nela,  o amor é o importante agora, e estes pais adotivos são o espelho de amor para ela, vamos orar a Deus, para que a justiça seja sábia, e que ela possa ficar com os pais adotivos, vamos aguarda a justiça.

segunda-feira, 18 de novembro de 2013

Novembro




Ola,  hoje demorei um pouco mais para fazer a  postagem, foi o desânimo que me fez demorar, sei que não devo desanimar, mais imagina é novembro, dia 18, ontem fez 1 ano e 4 meses que procurei o forum pela primeira vez,  mais um ano esta chegando ao fim, já disse que sabia da demora, mas acreditva plenamente que este ano iríamos entrar na fila, ainda bem que o ano não acabou, como a esperança é a ultima que morre kkkkkk, é esperar, pois sei que o forum ainda esta em funcionamento, depois ira parar, pois segundo consta, o brasil para de dezembro e volta depois do carnaval.
 Pessoal agora quero esclarecer algo, e peço a todos que acompanham o blog que divulguem, as pessoas tem muitas duvidas sobre a adoção, e voces que leem podem ajudar, a ultima foi que alguem falou para mim que nunca imaginou que uma pessoa solteira poderia adotar, então vamos lá, SOLTEIROS(A) pode adotar, basta ter mais de 18 anos, não precisa ter casa propria e nem super salários, e o adotado tem que ser 16 anos mais novo do que o adotante.

domingo, 10 de novembro de 2013

Duda



ola, hoje vim falar do casoDuda, um tema muito discutido na mídia televisiva e nas redes sociais nos ultimos 15 dias, uma mineira que foi tirada da familia com 2 meses, foi levada para uma casa de acolhimento, e depois de 1 ano e 8 meses foi adotada por um casal, o qual já tinha uma filha biologica, a familia lhe porpocionou amor, carinho, educação  etc. No entanto, o casal tinha apenas a guarda. No inicio infelizmente é assim, se fica com a guarda, e do mesmo jeito que a justiça é lenta no processo de adoção, não muda no processo de adoção definitiva. E agora depois de mais de 2 anos a familia biologica entrou na justiça requerendo a menina, e a justiça pediu para o casal devolver a menina, foi aberto uma polemica horrivel, apareceu outros casais que viveram a mesma situação, tem advogado tentando reverter isso, este casal fez uma adoção legal, fica uma insegurança nos casais que adotaram um filho e estão com a guarda, fica uma insegurança em minha familia, amanhã pode ser nós, e lá eles falam que a adoção legal  é definitiva, será??No caso da Duda não foi, teve protesto, audiência e tudo mais, mais sabemos que quando a justiça determina, tem que fazer o que eles mandam, triste realidade que ficamos sabendo somente porque este caso veio a tona, pois nós nunca imaginamos que este tipo de coisa acontecesse no caso de adoção, ficamos super decepcionaldos.  Quero pedir a vocês que acompanham meu blog, entrem neste link e assinem esta apetição, vamos tentar mudar algo neste brasil.

https://secure.avaaz.org/po/petition/JULGAMENTO_IMEDIATO_EM_PROCESSOS_DE_GUARDA/?dEjxdgb

domingo, 3 de novembro de 2013

Religião



Ola, sabe que esta semana fiquei pensando o que a igreja pensa da adoção, e comecei pesquisar no Google, achei algumas matérias, mas uma em especial me emociona, e para minha emoção ser maior, as palavras foram ditas pelo inesquecível Santo Papa João Paulo II, decidi dividir com vocês este lindo pensamento. 

“Adotar crianças, sentindo-as e tratando-as como verdadeiros filhos, significa reconhecer que as relações entre pais e filhos não se medem somente pelos parâmetros genéticos. O amor que gera é, antes de mais, um dom de si. Há uma "geração" que vem através do acolhimento, da atenção, da dedicação. A relação que daí brota é tão íntima e duradoura, que de maneira nenhuma é inferior à que se funda na pertença biológica. Quando, como na adoção, é ainda tutelada sob o ponto de vista jurídico, numa família estavelmente ligada pelo vínculo matrimonial, ela assegura à criança aquele clima sereno e aquele afeto, ao mesmo tempo paterno e materno, de que tem necessidade para o seu pleno desenvolvimento humano. Precisamente isto emerge da vossa experiência. A vossa opção e empenho são um convite à coragem e à generosidade para toda a sociedade, para que este dom seja sempre mais estimado, favorecido e também legalmente assegurado.” (Discurso do Santo Padre João Paulo II aos participantes no Encontro Jubilar das Famílias Adotivas promovido pelas Missionárias da Caridade).

domingo, 27 de outubro de 2013

Afetividade e cuidado



Ontem, sábado,  fomos ao encontro do grupo de adoção em Indaiatuba e o tema era: “Motivação para a adoção e devolução” pela psicanalista Maria Luíza Ghirardi. Isso mesmo: devolução. A psicanalista acima citada é especialista no assunto, atende casais que desejam devolver crianças que foram adotadas. Antes de qualquer coisa é importante ressaltar que não é permitido devolver uma criança adotada, depois de efetivada a adoção ela se torna irrevogável, mesmo assim acontecem casos de devolução, o que acaba gerando um segundo trauma na criança, e também no casal adotante. A palestra começou com uma análise sobre quais são as motivações de uma adoção e compara esse momento de discernimento pré-adoção ao período de gestação. A um período de gestação consciente, refletido, ela usa o conceito ninho-mental para essa preparação e reflexão sobre quais são as verdadeiras motivações, motivos, ou desejos que levam os casais a adotarem. São vários os motivos, infertilidade, filantropia, tudo depende muito da história dos adotantes, do seu passado da sua maneira de ver a realidade e as relações entre as pessoas e da disposição de ter um filho. Quando se trata de devolução ela ressalta que o principal motivo de devolução é a incompatibilidade que há entre o filho idealizado pelos casais e o filho real adotado, daí a importância de se fazer esse processo reflexivo e gestacional sobre quais são as verdadeiras motivações que levam o indivíduo a adotar, pensar que a vida do casal vai mudar com uma nova vida dividindo espaços, afetos, desafetos, seu dinheiro, seu tempo, atenção. A devolução só acontece nos casos de adoção, no entanto, podem-se observar muitos casos de abandono, ou seja, tal problema aqui discutido não acontece somente com a adoção, muitos pais abandonam seus filhos, obviamente nos casos mais complicados essas crianças se tornam disponíveis para a adoção, no entanto, minha breve experiência de educador me proporcionou várias experiências de abandonos de filhos dentro da própria casa. Percebo que as pessoas atualmente veem as relações que estabelecem uns com os outros como as mercadorias que consomem, não só nos casos de filiação, mas em todas as relações, usa-se o outro para satisfazer os desejos e depois descarta. Chamo isso de "reificação do ser humano”, é dar ao outro um status de coisa, é esvaziar suas referencias humanas, afetivas, sua identidade. Há que se resgatarem as relações afetivas verdadeiras de cuidado, cultivo, nossas relações são construídas e precisam ser cultivadas cuidadas, cotidianamente, para produzirmos uma cultura de afetividade verdadeira e deixarmos um legado positivo.

segunda-feira, 21 de outubro de 2013

Aluguel




Ola, antes de começar a falar o assunto da postagem, quero dar uma noticia, quem acompanha o blog, deve ter lindo o depoimento da Karla Leticia e da Marcela, a mãe da Karla Leticia esta grávida, há 15 anos o medico disse que ela não poderia engravidar, ela e o esposo decidiram adotar, e agora que a Karla esta com 13 anos, Deus esta abençoando a família com mais um filho.
Acredito que já devo ter falado nesse assunto, mas vou falar novamente, as pessoas acreditam que para adotar um filho precisam morar em casa própria, isso não procede, é claro que o casal deve ter condições de sustentar uma criança, mas isso não quer dizer que tem que ter bens, não importa se você mora de aluguel. A adoção busca para uma criança uma família que tenha amor, então quando vocês ouvirem falar em adoção, lembrem-se disso, e divulguem, pode ser que alguém deixe de procurar a adoção, porque acredita nas besteiras que se ouve por ai.
Até


segunda-feira, 14 de outubro de 2013

40 dias.



Olá, infelizmente vim falar sobre o tempo novamente, hoje faz 40 dias que comparecemos pela ultima vez no fórum, e mais uma vez o tempo passa,  passa e não temos nem uma noticia, eu e todos perguntamos o porquê desta demora?  Concordo com todo processo,  concordo com a entrevista, com a documentação que pedem, com  o fato de participar de grupos de adoção, mas não concordo com a demora que se tem a partir do momento que  os papeis já estão com eles, enquanto se espera as crianças crescem, os papeis já chegaram até a juíza, ela sabe que o casal esta esperando a 1 ano e 3 meses, ela não pode dar uma atenção melhor? Acredito que não, mesmo sendo juíza da infância e juventude, ela deve ter outra prioridade, depois deparamos com matérias sobre as crianças que estão crescendo, e não tem casal para adotar, na verdade teve casal, mas a demora foi tanta, que a criança se tornou adolescente, e quanto mais o tempo passa mais eu lamento por isso, fico chateada em ter que fazer postagem lamentando, e sabemos que ainda vou fazer muitas postagens por isso, e mesmo quando nosso filho chegar, a lamentação vai continuar, vou saber que muitos casais irão entrar neste processo, e a maioria vai passar por esta espera.

domingo, 6 de outubro de 2013

Esposo

Ola, na semana passada meu eposo fez uma linda postagem,eu gostei muito, fiquei feliz, pois ele fala pouco, mas quando ele escreve revela bons pensamentos, de responsabilidade, reflexão e consciência.
Hoje vim falar sobre a reflexão, não a dele, mas sobre as que ouvi nas ultimas semanas.Tenho duas historias de adoção, caracterizadas por  uma loga espera de 6 anos. Seis anos, isso me deixa chocada, como pode deixar um casal esperar por 6 anos, por mais que eu pense, que faça uma reflexão,é impossivel entender, aceitar. Na nossa última entrevista no fórum, a assistente social e a psicóloga nos falaram que se com dois anos nosso filho não viesse, eles nos chamariam para uma nova avaliação, e eu pensei, ela não pode estar falando sério. Mas escutando estes casos, eu descubro que infelizmente elas estavam falando sério, pois em uma conversa com meu marido, nós nos propomos a esperar estes 2 anos, se nestes dois anos a adoção não se efetivar não vamos insistir. Imagina submeter o casal a uma nova avaliação, o casal não merece, ainda mais sabendo da quantidade de crianças orfãs por ai, mas vamos aguardar os próximos meses, vamos aguardo o proximo contato.

segunda-feira, 30 de setembro de 2013

Corrido


Olá
Minha esposa pediu para eu fazer uma postagem esse final de semana, pois ele foi meio corrido e ela tinha que trabalhar.
Corrido. Uma das questões que me proponho a pensar sobre a adoção é a questão do tempo, do meu tempo que compartilho principalmente com minha esposa, amigos e trabalho, e que com a efetivação da adoção vai ser partilhado por mais alguém.
Sou educador dou aulas de filosofia e sociologia, estou em contato com muitos adolescentes e professores todos os dias, converso com pais de alunos quase que cotidianamente, percebo que um elemento muito importante para que haja uma boa relação entre pais e filhos, entre marido e mulher é o tempo. Tempo que se reverte em atenção, em diálogo, atenção que na realidade é um ato de carinho, amor, uma atenção pedagógica. Há algum tempo troco ideias com meus amigos educadores sobre a educação das crianças, sobre a formal que acontece na escola e a informal que acontece em todos os lugares, alguns deles já pais falam: “final de semana não faço nada da escola é o tempo que tenho para ficar com a família, mulher, filhos” outros que ainda não tem: “ penso sobre quando tiver um filho vou ter que abrir mão de algumas coisas para me dedicar a ele”.Essa mentalidade é fantástica, humilde, caritativa, é claro que seria muito melhor se nesse mundo em que vivemos tivéssemos mais tempo para cuidar das nossas relações. Um pouco do tempo somos nós que fazemos, e para aproveitá-lo é necessário planejamento, certo dia dando aulas para os adultos no EJA perguntei-lhes: vocês imaginaram que a vida de vocês iria mudar quando tivessem um filho? A grande maioria respondeu: NÃO. Isso revela a falta de maturidade das pessoas na hora de constituir uma família,o fato de eles nuca terem pensado nisso não os faz péssimos pais, mas esse amadurecimento deve ser feito seja antes ou depois da constituição da família.
Nossas relações afetivas estão carentes, carentes de carinho atenção, diálogo. Entre os gregos cultura era o cuidado que eles tinham com suas crianças, já diziam: “É melhor educar uma criança do que punir um adulto.” E o que percebo hoje é um jogo de empurra, ninguém mais quer se preocupar com nossas crianças e nossas relações, alguns pais delegam a responsabilidade para o estado, em forma de escola, penitenciárias, centros de acolhimento e outros. Não faço aqui apologia á família conjugal nuclear burguesa, faço apologia sim a uma pedagogia razoável, recheada de afeto, que não possui formula para ser ensinada e aprendida mas que deve ser pensada dentro de uma cultura de cuidado e afeto.

domingo, 22 de setembro de 2013

Divino




Ola, hoje vim falar da força do amor na adoção, quando vejo testemunho, vídeo e converso com  pessoas que adotaram ou são adotadas, a palavra é amor, na gravidez biológica tem o lance do exame, do positivo, da barriga crescer, para muitas passar mau,  a espera 9 meses, de ir para o hospital, de ouvir o primeiro choro, de amamentar, de acordar de noite, dos vários medos dos pais neste inicio, tudo isso vai fortificando o amor, mas pelo que entendo  na adoção , o amor é imediato, é algo divino, o casal olha para a criança e diz  é ele, e diferente do nascimento no hospital, é  filho que não foi gerado por você, não teve todo o processo biológico, mas aquela criança esta ali na sua frete e o amor transforma o casal , fico encantada com os depoimentos, e   estamos aqui,  querendo viver isso,  quero poder dar o próprio  testemunho para vocês,  neste tempo também ouvi varias  historias de devolução de filho adotado, pessoas que depois de meses devolveram, e nestes  casos  eu acredito que o amor não aconteceu, não foi imediato,  assim como o filho biológico, o que leva o abandono,a violência, tenho certeza que é   a falta de amor,  independente do processo da gravidez, o amor não acontece para estas  pessoas, e deve ser triste, a incapacidade de AMAR.

segunda-feira, 16 de setembro de 2013

Estado S/C

Ola, hoje estou naqueles dias, difícil de me inspirar para fazer uma postagem, agora estou aqui iniciando e me perguntando o que dizer. O tempo é algo cruel, ele voa kkkkkkkkkkkkkkk, não sofro de ansiedade, ainda bem, pois com tanto tempo de espera já teria pirado, semana passada assisti vários vídeos sobre adoção tardia em Santa Cataria, eles fazem uma campanha em pleno shopping, na televisão, e melhor ainda a adoção sai em 4 meses, fico mais chateada quando percebo que moro em um estado que pouco se importa com quem realmente precisa, o mais incrível é que os menores infratores tem toda prioridade, na verdade para eles é mais lucrativo investir em FEBEM do que em campanha para adoção, há muitas crianças que esta  na rua, pelo fato de ser melhor do que ficar em um abrigo trancada, sem nenhuma expectativa de ter uma nova família, vai entender a diferença de governo, não entendo a diferença de um estado para o outro, sendo que o apoio a adoção, as campanhas e os projeto, deveriam ser  nacionais.

domingo, 8 de setembro de 2013

Dep. Karla Leticia

Meu nome é Karla Leticia, tenho 16 anos, filha de Mara e João, minha mãe chegou em casa com uma novidade, uma amiga dela gostaria de um depoimento meu para colocar no blog, ela disse que sempre lê na net depoimento de mãe adotiva, mas de filhos são poucos, e vou dizer o que penso.

Família é quem cria, cuida, da carinho e ama acima de qualquer coisa. Desde pequena meus pais me contam que sou adotada e não tive problemas nenhum em aceitar isso. Pra mim eles são meus pais biológicos e fim de papo. Espero que as pessoas entendam que ter um filho adotado é normal. Eu pessoalmente espero algum dia também adotar um filho. Um filho que eu vou cuidar, dar carinho e amar assim como meus pais fazem comigo. Eu tenho pais maravilhosos. Deus os colocou na minha vida.
Karla Letícia Marins Toscano e Familia.



Dep. Marcela


         Meu nome é Marcela Sevidanes Nogueira Barreto, tenho 25 anos, sou casada e filha adotiva dos meus amados pais José Nogueira e Selina.
         A minha história é longa e um tanto complexa, mas vou tentar ao máximo reduzi-la e explica-la de forma clara. Espero que vocês curtam e entendam! RS
          Minha mãe biológica se chama Maria. Foi casada e desse primeiro casamento teve três filhas, das quais eu conheço duas (Eliane e a Josi), a mais velha eu não conheço e também não lembro o nome. O marido da Maria na época há mais ou menos 30 anos atrás, era caixeiro viajante e em uma dessas viagens ele a abandonou na roça, onde ela morava com as filhas e com seus pais, no caso meus avós maternos.
           A Maria resolveu então ir para a cidade de Caratinga/MG, onde a família da minha mãe (gente quando eu falar mãe saibam que é da Selina que eu estou falando, ok?!) residia e começou a trabalhar como doméstica. Por coisas de Deus, a minha tia Selma também trabalhava como vendedora e gerente na loja que ficava em baixo da casa e que pertencia ao mesmo patrão da minha mãe biológica. Com isso a minha tia acabou virando colega de trabalho da Maria.
           Um belo dia, a Maria chegou a casa desta família grávida de mim. Como ela morava, dormia e se alimentava no local de trabalho o pessoal não aceitou e nem ela queria a criança e, decidiu então colocar para a adoção. A minha tia sabendo disso tudo, avisou para os meus pais, que já estavam casados a mais de 6 anos e já tinha feito todos os tratamentos possíveis e impossíveis para engravidarem e não conseguiam, afinal, a sua filhota já estava sendo enviada de Deus para eles!!! rs
           No dia 27/01/1988, eis que eu nasci. Uma menininha muito saudável, gorda e que foi a farra da família Sevidanes e Nogueira e Barreto!!!!
           Sempre soube da minha história de vida, NUNCA esconderam nada de mim e tudo que eu tinha curiosidade em saber meus pais estavam a pontos para me contar. Tanto que há 4 anos eu conhecia a minha lindíssima e querida irmã Marina, que também seguiu o mesmo caminho que o meu. Foi adotada por uma ótima e linda família, que agora eu também tenho a honra de fazer parte e eles da minha.
            E sobre a minha mãe biológica? Também a conheci. Claro que não foi o mesmo impacto como conhecer minhas irmãs e tal, afinal, a minha lacuna de pais, foi e é totalmente preenchidas por aqueles que cuidaram e cuidam de mim até hoje, Nogueira e Selina, e que serão meus eternos e verdadeiros pais. Porque não existe DNA nenhum, perto do DNA da alma, do amor e do coração.
             E para divulgar também o meu blog e ficarem sabendo um pouco mais da minha história, deixo o link dele aqui pra vocês: http://adocaoumatodeamar.blogspot.com.br/

Um beijo grande a todos!

segunda-feira, 2 de setembro de 2013

Nome



ola, parece que hoje esta mais difícil fazer a postagem, falar o que? sobre o tempo? sobre o tempo, não quero falar , hoje vou falar sobre nossa conversa com a psicologa e a assistente social, muita gente perguntou se elas falaram novamente sobre o nome do nosso filho, como me perguntaram pessoalmente acredito que vocês que acompanham o blog também devem estar se peguntando, então vou contar, a assistente perguntou, e ai sobre o nome, você mudou o jeito de pensar sobre isso?, se eu falasse que sim, ia mentir, se eu falasse que não ia me complicar novamente, ai eu dei uma enrolada rsrsrsrsrs, falei para ela que é como uma gravidez, que quando chega mais perto as coisas vão mudando, e colocamos outras coisas no coração, ai ela perguntou : o que? eu falei que a  educação, escola, mudança na rotina, ai ela aceitou a resposta e não insistiu nisso, as vezes é mais fácil do que se pensa, mas é o processo, e o tal tempo que nos ajuda, e neste caso ajudou, não a mudar de ideia, mas a forma de lidar com elas, agora sobre o nome, eu vou esperar ele chegar, quem sabe iremos gostar do nome, o importante é nosso filho chegar, o demais se resolve com o tal tempo.
Até.

quarta-feira, 28 de agosto de 2013

Ufaaaaa

 




Ola, sei que  a galera que acompanha o blog deve ter vindo ver na segunda-feira, desculpa, não fiz a postagem porque hoje iriamos no fórum, ai queria já dar a noticia de uma vez só, agora sim o processo irá para a juíza, a qual decide se o casal esta ou não apto a adotar um filho, se ela decidir  pelo sim, é enviado para a fila, ai nos chama novamente, pois quando se entra na fila, recebe uma senha, na qual o casal acompanha o processo, é muito louco  falar que  estamos em uma fila, imagina um fila para esperar um filho, é algo estranho, inaceitável, incompreensivo, desde o começo elas sabem o  perfil da criança de  1 ano e 1 mês, depois ainda teremos que entrar em uma fila, em um País que se maltrata, vende, violenta e abandona muitas crianças  a cada dia, estamos fazendo uma adoção legal, mas jamais iremos entender o porque deste processo ser direcionado desta forma.
até....

quarta-feira, 21 de agosto de 2013

Esperar e Esperar





Olá, e quando achamos que o processo esta finalizando, descobrimos que ainda esta começando, foi esta a sensação que nós tivemos ao sair do Fórum hoje, fomos lá no horário marcado, ai como erá de esperar, as duas de sempre, assistente social e psicologa, nos fizeram as peguntas básicas, como esta o casal?, o que mudou nestes 6 meses? e tal e tal, ai elas nos deram um questionário, neste questionário teremos que informar tudo novamente,  idade, endereço, salario e etc, eles já tem copia autenticada de tudo,  em uma das folhas, tem o perfil da criança que queremos, tipo cor, idade e demais detalhes, já falamos isso lá também, mas vamos preencher, e levar para ela na próxima quarta feira, agora fala sério, é querer complicar mesmo.
Eu levei o atestado da psicologa, no qual eu estava indo, agora não irei mais.

domingo, 18 de agosto de 2013

Ligação

 


Ola, hoje vim contar o esperado, na verdade pensamos que iria demorar mais, mais foi breve, quem leu uma postagem alguns dias atras, viu que contei que fomos ao fórum, e os papeis retornariam no dia 13 para as profissionais, a psicologa e a assistente social, para nossa surpresa ligaram para nós dia 16 na sexta-feira, pediram para nós comparecermos lá dia 21, nesta quarta-feira a tarde, mais uma vez vamos encarar as 2, esperamos que desta vez tudo saia bem, e que finalmente elas possam liberar os papéis  para a juíza, só depois disso iremos entrar na fila, agora é aguardar, espero retornar dando boa noticia.

sexta-feira, 16 de agosto de 2013

Mensagem para um Pai de Alma...





Gostaria que postagem a linda mensagem que meus filhos do coração me mandaram no Dia dos Pais.
"Pai é difícil encontrar palavras pra descrever a grandeza de pai e ser humano que você é, se encontram aqui em nossa família, muitos pais maravilhosos, mais igual a você, sabemos que não existe, sabemos que não viemos de você pai, mas entramos em seu coração e em sua vida, sabemos que não nos ama por obrigação, você nos resgatou de um mundo de rejeição para mostrar a todos que o amor vai muito mais além que laços de sangue, e nos defende como leão, como se tivéssemos nascidos da sua alma, sofre, luta, trabalha muito, muitas vezes doente pai, mais nada nos falta, sabemos que você nos recebeu com a alma em festa, vestido de sonhos e esperanças.

Em momento algum lhe passou pela mente que o fato de a gente não lhe pertencer à carne, pudesse alterar o nosso infinito amor. Enfim pai, você é a pessoa que conhecemos que mais se aproxima de DEUS, que teve seu único filho JESUS,e pela sua infinita misericórdia, nos permite O chamar de PAI, por isso te amamos tanto...seus filhos, Guilherme, Derick, Gabriel e Brianne.

domingo, 11 de agosto de 2013

Pai



Feliz dia dos Pais!!! A todos, aos pais e aos filhos!!!
Ontem na missa o Padre falando sobre vocação, e em especial a vocação de ser Pai, que o mundo precisa de pais que realmente tenha vocação,  ele esta certo, quando falamos em vocação pensamos em sacerdote e outras coisas, e para educar, corrigir, ser exemplo, brincar, amar, para isso precisa ter vocação. Deveria ser como na adoção, pensar, analisar e não simplesmente ter o filho, pois é isso que acontece na maioria das vezes, um deslize, e a vocação e o dom, não tem, ai quem tem que educar é o mundo, ou uma família adotiva, e para ser uma família adotiva, se passa por um grande processo pra saber se você terá vocação, na família biológica deveria ser assim , não colocar criança no mundo, sem nenhuma intenção de criar. 
Hoje muitas crianças estão pedindo a Deus um pai, pois a pessoa que o colocou no mundo não tinha a vocação, sempre culpamos a mulher pelo abandono, mas neste dia pensei, um filho é feito de pai e de mãe, cadê o pai desta criança abandonada, o homem  também deixou de ser pai.
Sabe esta postagem não estava em minha mente, mas no dia de hoje tive que me corrigir e parar de escrever, pois minha mente esta cheia de pensamento sobre estes "pais".
Antes de finalizar quero contar a vocês que fomos no fórum esta semana, não conseguimos falar com tal pessoa que analisa, mas conseguimos ver o nosso processo, e tivemos uma boa noticia, lá esta escrito que, o processo ira voltar para as profissionais dia 13 deste mês, ai acreditamos que seremos chamado novamente, isso sim foi uma boa noticia para o dia dos pais.

segunda-feira, 5 de agosto de 2013

Analista

Olá!!!

Hoje vim falar de um cargo no Fórum que eu desconhecia, nós decidimos que temos que procurar o Fórum, pois não vamos mais esperar sentado, uma amiga descobriu o nome da promotora da Vara da infância, acabei de ligar lá, tentando marcar uma hora com ela, só tentando né, pois tenho que ir lá, falar com um analista, ai esta pessoa vai decidir, se é necessário ou não marcar com a promotora, e com isso mais uma vez, chocamos com a justiça, este mês irá fazer 6 meses que fomos chamado pela primeira vez, hoje termino a postagem aqui, devido a isso, sem comentário.
Ahhh eu vou tentar falar com o tal analista, depois volto pra dar noticias....kkkkkkk

domingo, 28 de julho de 2013

Abandono

ola...hoje vim falar sobre o ultimo abandono que virou notícia nacional, no meu ponto de vista, o abandono desta forma cruel, em um dia frio é desnecessario, tem varias campanhas, que dizem que, entregar seu filho a adoção, não é crime, o abandono sim é crime. A mulher tem o direito de deixar a criança na maternidade. Onde esta mulher teve esta criança? Sozinha em um banheiro? Em um quarto? Triste pensar nisso, no hospital não deve ter cido, pois se fosse alguem  teria reconhecido aquela criança. Dos males o menor, ela não jogou no lixo, não matou, de um jeito incomum, deu a chance desta criança ser adotada, e ter um vida digna. Falando em adoção, agora a noite, vi um juiz dizendo que tem 160 pessoas interessados em adotar o agora "Francisco", olhei para meu esposo e disse: será que quando ela se refere aos interessados, ela fala dos indivíduos que fazem parte da fila de adoção, que passaram por todos os procedimentos legais e burocráticos? Ou são indivíduos que de repente se propõem a adotar pelo fato se tornar televisivo? ele não tinha nem que fazer este comentario, se for pela adoção legal, o casal que ira adotar o "Francisco" é o proximo da fila, ou não é bem assim?

quarta-feira, 24 de julho de 2013

Aniversário de 1 ano do Blog

Olá!!!! 


Hoje meu blog esta em festa!!!!


Ainda não é pela chegada do meu filho...kkkk, mas este dia chegará e com certeza a festa será maior ainda, hoje o motivo é o aniversario do blog, completamos 01 ano, e com isso também se lembra 01 ano de espera, do dia 17 julho fez 1 ano que procuramos o fórum  pela primeira vez, mas o que é 01 ano quando se espera o bem  mais precioso de um ser humano, eu penso que a partir do momento que decidimos a adotar, Deus preparou a mulher que iria conceber ele para mim, então meu tempo de espera será  um pouco longo...kkkkkkk, nós lidamos bem com tempo, este 01 ano foi ótimo, participamos de encontro com pessoas que estão a espera, na verdade continuamos a participar, estamos fazendo tudo que o profissional do fórum nos pediu, não vou negar, tivemos decepções e  frustrações, mas acredito que quase todas as pessoas que tomam a decisão da adoção passa por isso, no nosso caso, o que mais nós frustra é saber que 01 ano depois, ainda não  estamos na fila Nacional de adoção, independente disso, queremos celebrar 01 Ano do Blog, sei que gente que não conheço também acompanha  as postagem, e espero em algum momento ter ajudando alguém, já tive declaração de uma amiga que diz ter mudado seu conceito sobre adoção por causa do nosso blog, isso já faz valer apena ter o criado.Obrigada a todos que comemora com nós hoje. 


E PARABÉNS AO BLOG "ADOÇÃO, UM ATO DE ALMA E NÃO DE CORPO"!!!!

domingo, 21 de julho de 2013

Mãe

ola, hoje não vim falar de adoção, neste momento estou indo passar a noite no hospital, minha mãe ira amputar o menor dedo do pé, será amanha pela manhã, então vim dizer que não tenho inspiração para postar algo no blog hoje, peço a oração de todos, obrigada pela compreenção.

domingo, 14 de julho de 2013

Férias





Ola, sei que alguns sentiram falta da postagem, semana passada, peguei uns dias de ferias, mas estou 
aqui, e hoje quero contar sobre a psicologa, fui em 5 sesões, e com isso ela pediu o seguinte, apartir de agora vamos mudar de assunto, nesta sesões nosso foco principal era adoção, mas ela disse que não temos o que falar mais, que ele me ve conciente, tranquila, que tenho certeza da decisão, e que des do começo ela não entende muito o que eu estava fazendo lá, mas mesmo assim ela tentou nas conversas descobrir o porque tinha me enviado para um tratamento, como ela não ve nada, então decidiu que devemos mudar o assunto, e que agora vamos esperar o fórum me chamar novamente, ela precisa saber o querem dela, um atestado, uma laudo, nossa como é confuso, falar em fórum esta semana irão fazer 5 meses que estivemos lá pela ultima vez, 5 meses, isso é frustante, mas tenho que dizer que infelizmente não tem o que fazer, é esperar.

segunda-feira, 1 de julho de 2013

Julho



Olá,!!!!
Hoje fiquei me perguntando, onde me inspirar para escrever esta postagem?
No abandono, na lentidão da Justiça, no silencio da Comarca da minha cidade, nos orfanatos, não sei, sinceramente não sei, queria que fosse mais fácil, é melhor falar de mim né, desta espera, eu faço postagem uma vez por semana, e é difícil assim, imaginou se eu tivesse que fazer postagem todos os dias?? que bom seria se cada semana tivesse uma noticia, boa ou ruim.
Nós só queríamos um contato, este mês de julho irá fazer 05 meses que não temos contato do Fórum e 01 ano que criei o blog, sim 01 ano, ira fazer 01 ano que procuramos o Fórum pela primeira vez, e a nossa maior  frustração não é o fato de não estarmos com nosso filho, mas sim, por ainda não estar na fila de adoção, sabemos que não estamos, pois quando isso acontece somos chamados, e é passado uma senha, para acompanhar a fila, imagina pegar uma senha, e lá ver que tem 28 mil casais na sua frente, só temos um consolo, o nosso perfil, que é por menino  de 3 a 4 anos,  quase nenhum casal escolhe menino, a preferencia  é menina, e a idade é até 2 anos o máximo, então com esta flexibilidade nossa, possa ser que, depois que entramos na fila seja rápido, mas este frase "possa ser que....", é que desanima.

segunda-feira, 24 de junho de 2013

Violência



Olá...
Nem sei o que dizer...
Acredito que algumas pessoas que estão lendo isso viram o Fantástico ontem, e assistiu...
Fui dormir e acordei chocada...
Quando vamos adotar eles perguntam se aceitamos criança que sofreu violência moral, sexual e física, mas nunca imaginamos este tipo de violência, eu e meu marido ficamos hipnotizado vendo aquilo, para quem não assistiu vou contar as duas coisas mais chocante:

  1.  foi um pai, não pai nunca, um ..........., pegou o filho trancou no quarto e o violentou sexualmente,ele mesmo contou ao medico e psicologo, no qual foi filmado, sem mostrar o rosto do menino, ele tinha  5 anos, e não esquece o sangue que viu.
  2. outro tinha uma mulher que ele chamava de mãe, passou 4 anos sendo espancado, a ultima da "mãe" = "monstro", foi pegar uma chave de fenda, esquentar, pedir para os irmãos o amarrar, e colocou a chave quente na boca dele, não dentro da boca, acima entre nariz e lábios, depois disso ela foi presa, condenada a 5 anos, mas saiu com 1 ano, ele fez varias cirurgia facial, e  ele foi adotado por um anjo, pois para adotar uma adolescente com 16 anos, tem que ser um ANJO.

Devolução???




"Sobre Devolução"...
ola pessoa, hoje decidir colocar esta fato, eu estava vendo o facebook, e vi esta postagem, começei a ler em voz alta para meu marido, ai no final já estava chorando, e resolvei devidir esta triste realidade com vocês.

Hoje M. e C., casados, habilitados, 32 anos, foram a Vara da Infância e devolveram P., que levaram (em guarda provisória) há 2 anos. A equipe técnica questionou o motivo e recebeu como resposta que P. apresentou defeito. Aparentemente um “vício oculto” (Código de Defesa do Consumidor Art. 26, § 3º, que “tratando-se de vício oculto, o prazo decadencial inicia-se no momento em que ficar evidenciado o defeito”), que apareceu agora, depois de dois anos de convivência. Não ficou muito claro qual seria o “defeito” de P. Parece que fazia birra, não gostava de fazer os deveres e estava comportando-se como pré-adolescente. M. e C. não se sentiram preparados para lidar com esses “problemas”.

M. e C. não buscaram, ao longo de 2 anos, qualquer apoio psicoterápico, não buscaram ajuda, não frequentaram grupo de apoio à adoção tardia.
M. e C. fizeram um experimento e entendem que não foi satisfatório, assim, o destino do mesmo é o descarte.
P. foi ouvido. Disse não saber o que tinha acontecido que não queria voltar para o abrigo, que queria ficar com seus pais M. e C. Não adiantou os pais de P. não o queriam de volta e foram embora da vara lá deixando P., duas malas, uma bicicleta, um skate. Despediram-se, desejaram sorte, entraram no carro e retornaram para um “mundo perfeito”.
Não ocorreu qualquer tumulto no acompanhamento da devolução desse “produto”.
P. voltou ao abrigo – é mais fácil tratar por abrigo as entidades de acolhimento institucional – e encontrou o local superlotado – hoje não existem vagas nas entidades de acolhimento institucional da capital. P. dividiu um quarto com mais 5 crianças, manteve suas roupas na mala e tentou dormir. Acordou. Sua bicicleta já era a festa da garotada, assim como seu skate. P. não era mais o dono desses bens, pois, no abrigo não existe tal individualização, no abrigo a é tudo “coletivo”. P., 10 anos, não entende o que aconteceu. Estudava em um bom colégio de classe média alta no bairro da Água Bela e acabara de receber uma camiseta de um colégio público próximo ao abrigo. P. estudava inglês, fazia futebol e natação. P. soube que não poderia mais realizar tais atividades, pois, a realidade era outra. Passou a ser acompanhado pela psicóloga do abrigo. Ele parecia não entender o que acontecera. Tornou-se introspectivo, ficava horas olhando para o portão a espera de alguém que nunca vinha.

segunda-feira, 17 de junho de 2013

Jornal Hoje...

Olá...

Hoje vim fazer um desabafo, para vocês entenderem melhor quero dizer que, quando se adota um filho, no inicio você tem a guarda, o registro no nome do casal é um outro assunto, no qual se demora muito, eu ainda não entendi o porque é lento.
Não sei o porque, mas a TV Globo resolveu falar mais sobre adoção, e isso é ótimo, mas em especial hoje fiquei bem triste com uma matéria no Jornal Hoje... 5 anos, 5 anos, após 5 anos, um menino foi devolvido para a casa de acolhimento, pois 5 anos após a adoção, o menino não era filho registrado, e com isso, o "pai" teve o direito de devolver ele, depois da morte da mãe, não consigo entender, digerir, aceitar, compreender este fato, e outros que a mídia não mostra, sei que este pai foi cruel, pai????? não, este ser nunca foi e nunca será pai, mas pense comigo, e a justiça?, 5 anos, para nós adulto é uma vida, imagina para uma criança, se ele tivesse registrado seria crime, e ainda se fala em indenização, dinheiro não paga, estou enviando o link, quem não viu e quiser ver, o absurdo!!!

http://g1.globo.com/jornal-hoje/noticia/2013/06/menino-prestes-ser-adotado-e-devolvido-para-justica-no-rj.html

domingo, 16 de junho de 2013

45 minutos...

ola, abaixo há um link de um programa que fala sobre adoção, infelizmente não está o programa inteiro, mas são 45 minutos de muita emoção, fiquei extremamente emocionada, é ótimo ouvir pessoas falarem sobre adoção, fico pensando quando chegar o nosso momento de viver tudo isso, quero vir dar o meu depoimento sobre esta sensação, fico maravilhada com a emoção com qual elas falam, e na verdade nós que nunca vivemos isso pensamos, será que é assim mesmo, para mim e para quem for adotar? O que nos resta é esperar.




No Roberto Justus  na segunda-feira (27), o apresentador recebeu no palco a atriz Antônia    Fontenelle e a apresentadora Astrid Fontenelle. O tema em debate foi “adoção”.
Segue abaixo o link do programa:
http://entretenimento.r7.com/roberto-justus-mais/video/veja-na-integra-o-programa-desta-segunda-feira-27--51a433f60cf2a882234c974c/

quarta-feira, 12 de junho de 2013

Crianças e adolescentes aptos para Adoção em sua Cidade...

 
 
ola, hoje vim deixa esta postagem, na verdade achei super interresante, tem um link no qual podemos ver em cada cidade quantas criança tem disponivel a adoção, para quem esta no processo é otimo...
 

A página do facebook Adoção de Santa Catarina: https://www.facebook.com/photo.php?fbid=666470926712891&set=a.252034444823210.82029.224016627624992&type=1&theater

Fez um post muito interessante, vejam abaixo, ou no link acima:

Quer saber quantas crianças e adolescentes estão aptos para adoção em sua cidade ou região? O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) disponibiliza estes dados, além da faixa etária, raça e sexo. Basta acessar o link abaixo, selecionar o seu estado e a comarca para iniciar a consulta.

http://www.cnj.jus.br/cna/View/consultaPublicaView.php

Façam a consulta, é sempre bom sabermos quantas crianças estão aptas para adoção.


segunda-feira, 10 de junho de 2013

Depoimento - A CHEGADA DA ALEGRIA À MINHA VIDA...

Olá pessoal,

Hoje esse post esta especial e emocionante, Lígia uma amiga, irá contar abaixo, como foi o processo da Adoção de sua filha Letícia...

...Muitos planos e sonhos, amor que não cabe em nós. Paciência, muita paciência. Situações que definem bem a espera de um filho adotivo...
 Minha história com a Letícia , minha “alegria”, começa assim:
 Não pude ter filhos biológicos por conta da retirada do meu útero, então, para mim, o caminho lógico foi a adoção. Engraçado que mesmo antes de nos casarmos, cogitávamos ter filhos biológico e adotivos. Então essa escolha foi bem natural para nós.
 Já que optamos pela adoção, resolvemos que faríamos tudo direitinho como manda a lei. O primeiro passo foi fazer o cadastro no fórum da minha cidade. Isso foi em novembro de 1998. Depois procuramos um grupo de adoção e começamos a interagir com casais que estavam na mesma situação que a nossa, ou que já estavam com seus filhos.
 Depois de muitas reuniões, entrevistas, visitas domiciliares e intermináveis papeladas, livros sobre o tema, estávamos preparados, prontos, aptos  e ansiosos para receber a nossa filha. Sim. Seria uma menina. Opção nossa. Sabíamos o risco que corríamos, pela escolha do sexo, mas enfim, fomos em frente.
 Depois de 19 meses (tempo relativamente curto) mas longo para quem espera, recebi, no dia 6 de junho de 2000, o telefonema que mudaria as nossas vidas. A assistente social me ligou, dizendo que havia uma bebezinha no abrigo da minha própria cidade e que a nossa ficha era a próxima da fila. Fomos conhecer nossa filha naquela mesma tarde.
 Quando entramos no berçário, vi de longe aquele berço branquinho, com uns bichinhos coloridos pendurados, tocando uma música suave. Detalhes. Mas o mais importante era aquele pacotinho minúsculo, dormindo de barriguinha para baixo, com um macacão rosa, com o rostinho virado para o nosso lado e uma enorme chupeta na boca. Trocamos olhares como quem diz: é ela! Nossa Letícia tinha 1 mês e 25 dias. Carregamos, sentimos o cheirinho dela, demos mamadeira, enfim... Foi amor à primeira vista!
 Foram 10 dias até conseguirmos a guarda provisória, e nesses 10 dias, chegamos a visita-la até duas vezes ao dia. Essa espera foi longa, mais longa que os 19 meses anteriores.
 Mas, no dia 16 de junho de 2000, uma sexta-feira, levamos nossa bebezinha para casa. A família a recebeu com festa, cartazes e presentes.
 A primeira guarda era de 6 meses. Quando venceu, recebemos outra de 12 meses, mas depois de 8 meses recebemos o termo de adoção e a certidão de nascimento dizendo que ela era nossa filha, definitivamente, perante a lei.
 Hoje, às vésperas de completarmos 13 anos juntas,  a minha Letícia é uma mocinha linda, feliz, educada, amorosa, consciente da sua situação de filha do coração. Aliás, isso nunca foi problema para ela. Hoje, por uma desses acasos do destino, estamos sozinhas. Eu e o pai dela estamos separados. Mas apesar disso, ele é muito presente na vida da filha e de uma certa forma, na nossa vida. Somos como qualquer mãe e filha. Brigamos, choramos, rimos, mas sempre juntas, cada vez mais unidas, mais próximas. Quando eu a chamo, ela responde: - Fala, gata...!!! (risos).
 Olho para trás e vejo que toda a espera valeu a pena. Muito mesmo. Eu costumo dizer que ela vale por todos os filhos que eu não tive e que eu nunca terei. Que ela é tudo o que eu quero de uma filha.
Mas infelizmente uma coisa me entristece: a morosidade das leis. Hoje sei que o processo está diferente, mais demorado, mais trabalhoso. Mas mesmo assim compensa só para ouvir essa palavra tão doce: - Mamãe!!!

Lígia Regina Alves - mãe da Letícia.

quarta-feira, 5 de junho de 2013

Juiza...Itu!!!


Olá...

Ninguém esperava eu por aqui hoje né?!

Vim contar que acabei de ligar para o Fórum perguntando sobre o nosso processo, a assistente social disse, que todas as vezes que um casal vai lá para uma conversa, logo em seguida é enviado o processo para a Juíza, ai tem que esperar o retorno dela, assim que ela enviar de volta, ela  nos chama, eu como sou meio leiga no assunto, imaginei que os papéis só iria para a Juíza, quando o processo estivesse concluído pela assistente e a  psicologa, e que  só daria um OK, e nos incluir na fila, mas..............., fico pensando, a Juíza deve cuidar desta Vara e mais  algumas, quando será que ele vai retornar o nosso processo, a ultima vez que fomos chamados foi em 20/02/2013, é galera, só por Deus.

segunda-feira, 3 de junho de 2013

Brasil...



Hoje já fiz uma publicação, normalmente faço uma por semana, mas quando li esta matéria, tinha que publicar aqui, ai fico chateada, e pensei, este é o Brasil, que trata saúde, educação, adoção, de uma maneira, que nem precisa comentar, todos já conhece, acredita que todos que iriam ler esta matéria, nunca avisa pensando nisso, na verdade nem eu, mas abaixa se encontra um pouco da realidade de nosso orfanatos ou casa de acolhida, pois é assim que eles quer que chame agora.

Desafio da adoção no país pode ser ainda maior

Todas as estatísticas conduzem à conclusão de que o desafio da adoção no pais, que já é enorme, pode ser ainda maior. Segundo o Levantamento Nacional de Crianças e Adolescentes em Serviços de Acolhimento, existem 2.624 abrigos em 1.157 municípios do Brasil (20,8%). São Paulo também apresenta o maior número de ­estabelecimentos: 362. Na lista dos estados que concentram mais unidades de acolhimento, estão também Minas Gerais (352), Rio Grande do Sul (213), Rio de Janeiro (173) e Paraná (131).
Os relatórios da Corregedoria Nacional de Justiça, de 13 de março, indicavam que apenas 5.465 dos 44.585 acolhidos nesses abrigos (um em cada oito) estavam aptos à adoção. As razões são diversas, mas a principal delas é que, muitas vezes, o abrigo acolhe temporariamente a criança (ou o adolescente) até que os familiares recuperem a ­capacidade de recebê-la em um ambiente considerado apropriado pela legislação. O estudo “O direito à convivência familiar e comunitária: os abrigos para crianças e adolescentes no Brasil”, do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), de 2005, revelou que apenas metade (54,6%) dos abrigados tinha processo nas varas da Justiça, concluindo que muitas delas poderiam estar nas instituições sem que o sistema ­legal nem mesmo tivesse conhecimento.
Abaixo, o link dessa matéria: http://www.senado.gov.br/noticias/Jornal/emdiscussao/adocao/realidade-brasileira-sobre-adocao/desafio-da-adoao-no-pais-pode-ser-ainda-maior.aspx

Apoio



Olá!!!

Vocês devem estar pensando, qual a nossa situação hoje no processo???
Na mesma...
Estou em tratamento, vou na psicologa uma fez por semana, para mim esta sendo um experiência boa, ela me promove um bate papo sobre o assunto adoção, me faz refletir, e isso é ótimo, na verdade ela não entendeu muito bem porque fui enviada para o tratamento, falei para ela, nem eu.. kkkkkkkkkkk, mas é como chá de mãe, pode não dar resultado, mas mau não vai fazer, eu acredito que vai ser muito bom.
E nós continuamos, indo no grupo de apoio a adoção em Indaiatuba/SP, é tudo de bom, lá também nos ajudam na nossa reflexão de todos os assuntos, como diz minha amiga Taty, este encontro deveria existir obrigatoriamente para quem quer ter filhos biológico, pois cada encontro nós escutamos algo que jamais teria pensado, a palavra já diz tudo, "apoio a adoção", pois lá você ouve a realidade, pois acho que na gravidez e na adoção, temos varias duvidas, vários questionamento e vemos tudo meio como um conto de fada, e lá é real, lá ouvimos pessoas que vivem a adoção, pessoa que pode nos orienta, e isso é ótimo, para as pessoas de Indaiatuba, estes encontros faz parte do curso obrigatório pelo processo hoje, nós fizemos este curso aqui em Itu e em um único encontro... nós vamos lá por opção, pois acreditamos que é importante.

segunda-feira, 27 de maio de 2013

QUANDO EU MUDO, O MUNDO SE TRANSFORMA...





A boa mãe é aquela que vai se tornando desnecessária com o passar do tempo. Várias vezes ouvi de um amigo psicanalista essa frase, e ela sempre me soou estranha. Chegou a hora de reprimir de vez o impulso natural materno de querer colocar a cria embaixo da asa, protegida de todos os erros, tristezas e perigos. Uma batalha hercúlea, confesso. Quando começo a esmorecer na luta para controlar a super-mãe que todas temos dentro de nós, lembro logo da frase, hoje absolutamente clara. Se eu fiz o meu trabalho direito, tenho que me tornar desnecessária. Antes que alguma mãe apressada me acuse de desamor, explico o que significa isso. Ser “desnecessária” é não deixar que o amor incondicional de mãe, que sempre existirá, provoque vício e dependência nos filhos, como uma droga, a ponto de eles não conseguirem ser autônomos, confiantes e independentes. Prontos para traçar seu rumo, fazer suas escolhas, superar suas frustrações e cometer os próprios erros também. A cada fase da vida, vamos cortando e refazendo o cordão umbilical. A cada nova fase, uma nova perda é um novo ganho, para os dois lados, mãe e filho. Porque o amor é um processo de libertação permanente e esse vínculo não pára de se transformar ao longo da vida. Até o dia em que os filhos se tornam adultos, constituem a própria família e recomeçam o ciclo. O que eles precisam é ter certeza de que estamos lá, firmes, na concordância ou na divergência, no sucesso ou no fracasso, com o peito aberto para o aconchego, o abraço apertado, o conforto nas horas difíceis. Pai e mãe - solidários - criam filhos para serem livres. Esse é o maior desafio e a principal missão. Ao aprendermos a ser “desnecessários”, nos transformamos em porto seguro para quando eles decidirem atracar.
"Dê a quem você Ama:
- Asas para voar...
- Raízes para voltar...
- Motivos para ficar..." - Dalai Lama".

https://www.facebook.com/QUANDOEUMUDO.OMUNDOSETRANSFORMA?directed_target_id=0