segunda-feira, 27 de janeiro de 2014

Afeto !

Ola, quando me proponho a pensar sobre o fato de que dentro de algum tempo a adoção vai se efetivar, algumas questões me põem a pensar sobre a atenção e o amor. Acredito seriamente na possibilidade de aprender a gostar, de aprender a amar, isso acontece com um exercício diário, permanente. Assim como tudo na educação não se aprende nada do dia para a noite, deve haver dedicação e cuidado com nossas relações afetivas, isso acontece muito instantaneamente em nossas relações, pessoas com as quais tínhamos grandes amizades às vezes se distanciam os encontros se tornam escassos, e o amor já não é mais o mesmo, é claro que no caso de uma relação afetiva como o matrimonio ou de uma adoção tudo se torna mais intenso, por isso requer doses extras de cuidado, de afeto e atenção, que possam sustentar tal amor, pensando nisso uma dúvida me incomoda, como desenvolver esse amor e atenção permanentes em um mundo onde tudo é instantâneo e comercializável?

Tudo podemos comprar menos afeto verdadeiro, amizades verdadeiras, o presente é um fetiche triste e ilusório que trás a impressão de que é possível enganar os afetos. Instantaneamente momentaneamente isso é possível, mas quando o frenesi acaba volta também à falta dos afetos. Há um país onde os casamentos são arranjados no nascimento, o primeiro contato entre os noivos é depois do casamento, pra nós brasileiros ocidentais isso é um crime, mas ouvindo um guru falar sobre essa forma de se casar, algo me chamou atenção: ele defendeu a possibilidade do amor ser construído e reconstruído cotidianamente. Não que eu defenda essa modalidade de casamento, mas o uso de exemplo, não há poções mágicas para o amor e a afetividade há sim cuidado e dedicação, tomara eu e minha mulher sejamos portadores de cuidado, dedicação e amor.

2 comentários:

  1. nossa que postagem perfeita...achei lindoooo demais!!!

    ResponderExcluir
  2. É tatinha, quando ele resolve, ela abala kkkkkkkkkkk...bjs

    ResponderExcluir